Aves

NÃO MEXAS!

Se for necessário mexer, para evitar que o animal se magoe ainda mais, lembra-te que se trata de um animal selvagem e a presença de ruído e pessoas muito próximas pode torná-los agressivos. Podem também transmitir doenças aos humanos.

NÃO DEVOLVAS O ANIMAL À ÁGUA!

Com exceção de algumas espécies, as aves marinhas não utilizam a praia e vivem toda a sua vida no mar exceptuando na época de reprodução.
Se uma ave marinha se encontra na praia muito provavelmente está ferida ou doente.

OBSERVA E DESCREVE!

Verifica as características físicas da ave tal como o tamanho (maior ou menor que uma gaivota), a forma do bico e a coloração das penas. Esta informação irá ajudar a equipa de resgate identificar a espécie e optimizar os meios necessários para o seu resgate.

IDENTIFICA PROBLEMAS!

estado geral do animal – em que situação se encontra; se está magro; consegue manter-se em pé? tipo de respiração – se respira de bico aberto, está ofegante, etc.; feridas visíveis – descrever os ferimentos visíveis, fracturas, presença de fios de pesca ou anzóis, etc.
INTERVENÇÕES FEITAS – tenta perceber se alguém já fez alguma manipulação ao animal. Se sim, tenta identificar o que foi feito (manipulação, oferta de água ou alimento, administração de medicações, remoção de anzóis, etc.).

LOCALIZA!

Qual o local exato do arrojamento e quais as direções para o local onde recolher a ave.

CONTACTA!

Contacta as autoridades competentes ou o Centro de recuperação de animais selvagens mais próximo. Fornece todas as informações recolhidas. A equipa de resgate poderá indicar-te alguns procedimentos que poderás realizar enquanto não chegam.

O QUE PODES FAZER ENQUANTO A EQUIPA DE RESGATE NÃO CHEGA!

EVITAR HIPERTERMIA OU HIPOTERMIA: As aves marinhas, quando encontradas na praia, podem sofrer de hipertermia (aumento da temperatura corporal) ou hipotermia (diminuição da temperatura corporal). Uma ave com hipertermia tem uma respiração ofegante com o bico aberto. Pode ter as asas abertas e descaídas. Neste caso é muito importante que se coloque o animal num local fresco e à sombra. A hipotermia pode ser provocada por falta de impermeabilização da penas (a ave está molhada). Deve-se neste caso embrulhar a ave com uma toalha seca e colocá-la num sítio abrigado e arejado.

MANTER SILÊNCIO E OS CÃES AFASTADOS

O QUE NUNCA DEVES FAZER!

NUNCA ATAR O BICO DAS AVES – algumas aves marinhas não têm narinas pelo que se se fechar o bico elas não conseguem respirar.

NUNCA VOLTAR A COLOCAR A AVE NO MAR – Com exceção de algumas espécies, as aves marinhas passam todo o tempo na água (menos quando estão em zonas de nidificação). Deste modo, quando uma ave é encontrada fora do mar muito provavelmente está ferida ou doente.

NUNCA PEGAR AS AVES PELAS ASAS OU PATAS – Agarrar aves marinhas pelas asas ou patas podem provocar luxações nesses membros. Estes animais devem conter-se com o auxílio de uma toalha ou camaroeiro. Deve ter-se sempre cuidado para não partir ou estragar as penas. Quando contido, deve colocar-se numa caixa com orifícios e transportá-lo para um local abrigado e calmo.

NUNCA REMOVER FIOS DE PESCA OU ANZÓIS – A remoção de anzóis deve ser feita por técnicos experientes! Muitas vezes chegam-nos aves com ferimentos graves devido à remoção de anzóis por pessoas sem experiência.

NUNCA CAPTURAR A AVE SE NÃO TEM OS MEIOS ADEQUADOS