Tordas-mergulheiras

Alca Torda

Alca Torda

Doze tordas-mergulheiras (Alca torda) deram entrada no CRAM-Q, em Janeiro de 2012. Estes animais foram encontrados na Nazaré, Peniche e Praia da Quebrada (Matosinhos), sendo vítimas de captura acidental e pesca-fantasma, apresentando várias escoriações nas asas, cabeça e patas provocadas por redes. Uma das tordas-mergulheiras tinha ainda a pata direita amputada. Nas instalações do CRAM-Q procedeu-se ao exame físico de cada uma das aves e ao respectivo diagnóstico. As escoriações das tordas-mergulheiras foram devidamente tratadas, tendo estas permanecido em reabilitação entre 3 a 8 semanas. Das 12 tordas-mergulheiras, 9 foram reabilitadas com sucesso. As restantes 3 não resistiram às lesões, acabando por falecer. Nos dias 25 de Janeiro e 16 de Março de 2012, as tordas-mergulheiras foram libertadas no mar, com o apoio da Polícia Marítima da Figueira da Foz, em frente a Quiaios (Figueira da Foz).

Espécie: Alca torda (Linnaeus, 1758)
Causa da Entrada: captura acidental (bycatch); pesca fantasma (ghost-fishing)
Categoria da Red List da IUCN: Pouco Preocupante (LC)
 Data de Entrada: De 4 – 24 de Janeiro de 2012 Data da Libertação: 25 de Janeiro e 16 de Março de 2012